User Profile

sol2070

[email protected]

Joined 7 months, 3 weeks ago

From Brazil. #scifi #philosophy #nature #politics #tech #fantasy

Costumo ler sci-fi, filosofia, natureza, política, tech e alguma fantasia (George R.R. Martin e Ursula Le Guin). Mais livros no blog → sol2070.in/livros

This link opens in a pop-up window

sol2070's books

Currently Reading

Monica Byrne, Monica Byrne: The Girl in the Road: A Novel (Paperback, 2015, Broadway Books) 5 stars

A debut that Neil Gaiman calls “Glorious. . . . So sharp, so focused and …

Unforgettable Afro-Indian road story

No rating

(em português → sol2070.in/2024/03/livro-girl-in-the-road/ )

As the title of Monica Byrne's "The Girl In The Road" (2015) suggests, it's a road journey -- one of my favourite genres. But it's something unforgettably different.

In the year 2068, a young Indian girl crosses an ocean, walking thousands of kilometres across a bridge that captures energy from the ocean waves, from India to Africa. In a parallel story, a child escapes her home by crossing Africa to Ethiopia.

In this future, devastated by climate change, India has become a dominant power and the African continent is cooking revolutionaries. It's a relief to be immersed in a story totally outside the current dominant cultural axis (even though the author is from USA).

The first-person narrative throws you inside the characters.

The main themes are: multiculturalism, transgenerational disorder, post-collapse societies, female power, mythological and spiritual dimensions of existence.

I came across this book because …

avatar for sol2070 sol2070 boosted
Byung-Chul Han: Sociedade da Transparência (Portuguese language, 2016, Vozes) No rating

Nos dias atuais não há mote que domine mais o discurso público do que o …

A sociedade do controle atual apresenta uma estrutura panóptica bastante específica. Contrariamente à população carcerária, que não tem comunicação mútua, os habitantes digitais estão ligados em rede e têm uma intensiva comunicação entre si. O que assegura a transparência não é o isolamento, mas a hipercomunicação. A especificidade do panóptico digital é sobretudo o fato de que seus frequentadores colaboram ativamente e de forma pessoal em sua edificação e manutenção, expondo-se e desnudando a si mesmos, expondo-se ao mercado panóptico. O expor pornográfico e o controle panóptico misturam-se entre si; o que alimenta o exibicionismo e o voyeurismo é a rede enquanto panóptico digital. Nesse sentido, a sociedade de controle chega a sua consumação ali onde o sujeito dessa sociedade não se desnuda por coação externa, mas a partir de uma necessidade gerada por si mesmo; onde, portanto, o medo de renunciar à sua esfera privada e íntima dá lugar à necessidade de se expor à vista sem qualquer pudor.

Sociedade da Transparência by  (Page 108 - 109)

Eduardo Bueno: Brasil, uma história (Paperback, Portuguese language, 2003, Atica) 5 stars

Brasil, uma história é um rico panorama de toda a História do Brasil, do descobrimento …

Torna interessante esse tipo de livro

5 stars

(https://sol2070.in/2024/02/historia-do-brasil-eduardo-bueno/ )

A coleção sobre história do Brasil de Eduardo Bueno bateu o recorde na minha fila de leitura. Comprei há mais de 20 anos. No último ano, desisti e peguei esse que junta tudo: Brasil, Uma História (2013).

O maior motivo porque queria ler era o autor. Li algumas de suas traduções (de Jack Kerouac) e adorei. Também por ser um livro de história contado de forma muito envolvente. E, claro, porque meu conhecimento sobre isso praticamente se resumia às apostilas da escola.

Levei um bom tempo pra terminar porque deixava ao lado do sofá como se fosse uma revista de artigos imersivos. Já o início do século 20, na parte final, me fisgou numa tacada só — a história prendeu mais devido à proximidade temporal.

O autor narra de forma fascinante, com um estilo de texto admirável. Pra quem não conhece, ele tem um popular canal de história1, …

Philip K. Dick: O Tempo em Marte (Paperback, português language, 2020, Aleph) 5 stars

O tempo em Marte, de Philip K Dick, é uma trama de poder e ambição …

Boa amostra da ficção demente de Phillip K. Dick

5 stars

(resenha original maior, com links → sol2070.in/2024/02/o-tempo-em-marte-phillip-k-dick-martian-time-slip/ )

Um dos principais motivos porque adoro ficção científica é o autor Phillip K. Dick. Só não li todos os seus livros porque havia pouca coisa traduzida lá pelo final dos anos 90. Então, comecei a buscar edições de Portugal ou em inglês, mas aí a febre foi passando e abandonei o projeto.

Dick talvez seja o autor de sci-fi mais adaptado para as telas. Suas histórias renderam filmes como Blade Runner, Total Recall, Minority Report, O Homem Duplo (A Scanner Darkly) e as séries O Homem do Castelo Alto e Sonhos Elétricos. Isso é curioso até, já que seu foco em aspectos psicológicos, filosóficos e psicodélicos (comum na ficção científica New Wave dos anos 60 e 70) não tem tanto apelo de massa.

Um de seus livros mais adorados é O Tempo em Marte (Martian Time Slip, 1964). Não conhecia. Foi delicioso …

Ken Liu: The Hidden Girl and Other Stories (AudiobookFormat, 2020, Simon & Schuster Audio and Blackstone Publishing, Simon & Schuster Audio) 4 stars

Includes stories featured in Pantheon—now an animated series on AMC+

“I know this is going …

Calls for reflection with deep themes

4 stars

(em português, com links → sol2070.in/2024/02/livro-the-hidden-girl-ken-liu/ )

"The Hidden Girl" (2020) is a collection of short stories by award-winning speculative fiction author Ken Liu. Most of them are sci-fi, but there is also fantasy.

It's the book that includes the six stories on which the animated series "Pantheon" is based. I discovered Ken Liu because of this series. I read the book for the same reason and ended up finding several other memorable stories.

Some of them left me with the same impression as reading Ted Chiang, as they are stories that call for reflection, touchingo on deep themes. There are two or three dispensable stories out of a total of 19, which is an excellent average.

Apart from the "Pantheon" stories, the ones I liked the most were:

  • "Reborn" - One of the best stories I've seen about coexistence with aliens.
  • "Memories of My Mother" - A mother and …
Alan Watts: The Book (Paperback, 1989, Vintage) 5 stars

At the root of human conflict is our fundamental misunderstanding of who we are. The …

This is "The Book"

5 stars

(em português → sol2070.in/2024/01/alan-watts-livro-the-book/ )

I've already mentioned "The Book - On the Taboo Against Knowing Who You Are" (1966) by Alan Watts a few times. I remembered it fondly from reading it about six years ago, and I've just completed one of my future re-readings. This time I made a point of buying a physical copy (at a second-hand bookshop) to browse through.

Watts had a degree in theology and even worked as a university chaplain, but he was basically self-taught. He was one of the forerunners of the psychedelic ebullience of the 1960s and is also often described as one of the greatest interpreters of Eastern philosophies for the West. But that's not what this book is about.

It condenses an idea that Watts never tired of conveying, in many different ways, about the true nature of our identity.

We generally consider ourselves to be the body, or …

Sidarta Ribeiro: Sonho Manifesto (EBook, 2022, Companhia das Letras) 5 stars

Mantido o rumo atual da vida na Terra, o futuro é impossível. Em seu novo …

O uso que fazemos de palavrões explicita o atraso milenar de concepções ainda tão comuns. Quase todas as nossas “palavras feias” são ligadas ao sexo e, portanto, deveriam ser consideradas lindas: cu, boceta, caralho, porra, veado, filho da puta. Quanto ódio contra as putas! Por que chamamos assim as pessoas mais vis e desprezíveis? Quando alguém da minha família, por qualquer razão, solta um “puta que pariu”, logo bradamos em uníssono: “Viva as Putas! Viva as Mães! Viva as Filhas! Viva os Filhos!”. O sexo e a maternidade são demonizados como se não tivéssemos todos vindo daí, como se os corpos não fossem templos de infinito prazer, e sim masmorras de infinita dor. É tão comum a hipocrisia antigay que demoniza a homoafetividade, mas a pratica em segredo.

Sonho Manifesto by